Terapeuta de final de semana?


Muitas pessoas me perguntam se é possível atender com o Thetahealing® após fazer o primeiro curso da técnica, tendo em vista que foi o que aconteceu comigo. E sempre que eu me deparo com esse tipo de questionamento eu respondo: depende.


Quando conheci o theta, eu estava bem desmotivada com minha antiga profissão, eu era assessora jurídica de órgão público e só me via saindo dali se fosse concursada. Acontece que, eu nem sabia o que eu queria dentro do Direito. Estudei para concursos de técnico e analista, Juiz Federal, Defensoria Pública...por nunca ter definido o que eu AMAVA eu saía "atirando" para todos os lados.


Essa situação me causou inúmeros problemas, dentre eles crises de ansiedade e pânico. Primeiro eu achava que o problema era pelo fato de eu morar com minha mãe e não ter espaço para me concentrar. Mudei de casa. Depois o problema era o horário do trabalho. Organizei meus horários. E mesmo com tudo devidamente no seu lugar eu, ainda assim, passava mal ao sentar na cadeira do escritório da minha casa nova e começar a estudar.


Eu já vinha estudando sobre o Thetahealing® desde 2017. Havia um perfil no instagram que trazia várias temáticas de autoconhecimento e ali foi o meu primeiro contato. Por trabalhar a técnica especificamente com crenças limitantes eu me interessei e resolvi procurar um profissional da área na minha cidade, já que as sessões de psicoterapia não estavam surtindo tanto efeito para essa temática profissional. Eu saía de lá muito mais confusa...


No dia da sessão, a terapeuta thetahealer desmarcou comigo de última hora e eu acabei indo parar numa sessão de barras de access com outra terapeuta muito bem recomendada. Durante essa sessão eu tive algumas visões e sensações e, naquele mesmo dia, eu desmontei o escritório em que estudava e montei um consultório improvisado com um colchão e duas cadeiras na minha casa, pois eu já era terapeuta reikiana à época. Um mês depois, FINALMENTE, fiquei sabendo de um curso de theta que ia acontecer na minha cidade. Nem pensei duas vezes, me inscrevi.


O curso foi sensacional. Parece que simplesmente tudo em que eu acreditava estava ali escrito em um livro na minha frente. Eu não sabia nada da técnica, eu não sabia nada da fundadora do Thetahealing®, eu simplesmente fui e nunca vou me arrepender disso.


No dia seguinte eu atendi minha primeira cliente, meu "consultório" já estava pronto há um mês, como que esperando por esse momento. Foi um atendimento gratuito e eu senti coisas muito fortes na sessão. Eu nunca tinha sido atendida, então eu queria fazer com a pessoa que estava na minha frente, todos os exercícios que tinham sido passados no curso. Acho que ficamos umas 2h trabalhando...


No dia seguinte apareceu minha segunda cliente, eu tinha divulgado no meu perfil pessoal que tinha feito o curso, eu nem sabia que valor cobrar, intuitivamente estipulei um valor e deu certo, ela fechou um pacote e começamos a nos encontrar semanalmente. Depois vieram vários clientes por indicação e seis meses depois eu pedi exoneração do meu trabalho.


Tá, mas foi o primeiro curso da técnica que me tornou uma terapeuta em, apenas, um final de semana? Não. Do mesmo modo que uma faculdade de Psicologia não vai fazer você se tornar um psicólogo, uma faculdade de Medicina não lhe faz um bom médico, um curso de final de semana jamais vai te fazer terapeuta.


Sim! Você vai aprender uma técnica, vai ter um certificado lhe habilitando a praticar essa técnica, mas o que vai te fazer um terapeuta é ética, comprometimento, estudo e prática. Fazer um curso de Thetahealing® é só o começo de uma linda jornada. Eu tinha muito medo de trabalhar com energias mais sutis, eu precisei desenvolver uma disciplina para trabalhar minhas questões, eu tive que aceitar ter alguém cuidando de mim também, pois quem é terapeuta precisa de terapeuta ( e isso não é crença limitante, tá?). Eu precisei me aprofundar...


E por que eu estou falando tudo isso? Porque eu sinto que muitas pessoas fazem um curso terapeutico com a finalidade de monetizar esse conhecimento em seguida. Tá errado? Mais uma vez: depende. Quando você faz algo com o propósito maior de ajudar e contribuir com as pessoas e ama tanto o que faz que faria aquilo de graça, desenvolve esse dom enquanto uma profissão, beleza. Só não faça um curso desses SÓ pelo dinheiro. SÓ porque você tá perdido e não sabe com o que trabalhar. Pessoas não são números. E precisamos ter muito cuidado, zelo e respeito pelas emoções dos outros.


O meu background de ter feito terapia desde os meus 7 anos de idade, de ter sempre gostado de estudar coisas espiritualistas e por estar num emprego que já fazia com que eu pagasse meus boletos contribuíram E MUITO para que eu viesse a me tornar terapeuta de uma forma muito mais fluida. Mas essa não é a regra.


Então, se você leu esse texto até aqui, eu espero que você se sinta inspirado a mergulhar no autoconhecimento, nos cursos terapeuticos que você tem interesse, mas sem ilusões. E se você gostou desse texto "batendo a real" compartilhe com todos aqueles que merecem saber!


Com muito amor,

Ju




6 visualizações
  • Instagram ícone social
  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon